Respeito é bom, Coelba!

Sem passar pela Comissão Paritária, Coelba muda estrutura do plano de saúde

O plano de saúde é nosso maior benefício. Nunca mediremos esforços para defendê-lo. Assim, a atitude
da Coelba em mudar a estrutura do plano de forma unilateral nos causou estranheza e repúdio. Sem consultar
a comissão paritária e o Sinergia, a empresa fez o ingresso de estagiários no plano. Não somos contra a entrada desses novos usuários, muito pelo contrário. Achamos que este benefício deve ser estendido para este público sem nenhum problema. O que repudiamos é a forma que foi feito a mudança: sem nenhuma discussão com a Comissão e nem com o sindicato.

Empresa desconsidera cláusula do plano de saúde

Importante destacar que discutir qualquer mudança do plano é uma obrigação da empresa e não uma liberalidade. A redação da cláusula 38, que nos assegura o plano, é bem clara ao obrigar a empresa a discutir com a Comissão qualquer mudança das condições atuais. Confira o texto:

CLÁUSULA TRIGÉSIMA OITAVA – PLANO DE SAÚDE

38.5 – Com a transferência/migração da gestão do Plano de Saúde Coelba para o BRADESCO
SAÚDE e BRADESCO DENTAL, serão observados, as seguintes diretrizes:

e) qualquer alteração nas condições atuais deverá ser discutida com a Comissão Paritária e em
seguida com o Sinergia.

Ou seja, qualquer alteração referente ao plano de saúde deve seguir os procedimentos indicados na
ACT 2018/2020, quais são, encaminhar a alteração a ser discutida em comissão paritária e após, com
o SINERGIA.

PRINCÍPIO DA CONFIANÇA FERIDO

O respeito e a confiança na relação entre as partes é algo que não pode ser ferido em nenhuma hipótese.
Esse episódio revela uma falta grave nesse processo. A Coelba não pode agir de modo unilateral e
considerar isso irrelevante. Norteamos nossas ações pelo respeito de todas as questões e pela garantia de
que a relação será sempre reciproca. Por isso, nos causa estranheza essa postura da empresa, que em nada
contribui para mantermos sólidos os princípios que sempre norteou a nossa relação ao longo desses anos.
Esperamos que este seja um fato isolado, que possa ser corrigido e não cause prejuízo ao que construímos
no dia a dia.

Sindicato envia carta repudiando situação

O Sinergia enviou uma Carta à Coelba relatando a situação e cobrando uma posição sobre
esse episódio. A atitude da empresa não pode passar em branco, já que as condições atuais
do plano são fruto de ampla e demorada discussão entre as partes, inclusive com diversos
impasses superados.

“Permitir que a Coelba mude qualquer questão do plano sem discutir com a Comissão e com o
Sindicato pode inaugurar uma prática perigosa. Hoje foi o ingresso de um novo público e amanhã
pode ser a mudança para enfermaria, por exemplo. Por isso, não podemos deixar passar em branco”,
destaca o coordenador da Comissão paritária, Nelson Cerqueira.

Confira o texto da Carta que foi enviada para empresa:

Conforme dispositivo previsto no acordo coletivo da Coelba 2018/2020, onde resta explicitamente que,
Cláusula 38 in litteris:

CLÁUSULA TRIGÉSIMA OITAVA – PLANO DE SAÚDE

38.5 – Com a transferência/migração da gestão do Plano de Saúde Coelba para o BRADESCO SAÚDE e
BRADESCO DENTAL, serão observados, as seguintes diretrizes:

e) qualquer alteração nas condições atuais deverá ser discutida com a Comissão Paritária e em seguida com
o Sinergia.

Diante disto, qualquer alteração referente ao plano de saúde deve seguir os procedimentos indicados na
ACT 2018/2020, quais são, encaminhar a alteração a ser discutida em comissão paritária e após, com o
SINERGIA.

Ocorre que, em junho/2019, a COELBA, de forma unilateral, inseriu os estagiários ao benefício do plano de
saúde. Atitude, está, que desrespeita frontalmente o acordo coletivo debatido e aprovado em assembleia.
Com antecedência, o SINERGIA, informa que não há qualquer objeção em que o beneficio do plano de
saúde se estenda aos estágios. O que se coloca em questão é a manutenção das condições previamente
estabelecidas em acordo coletivo, e que devem ser cumpridas por todos.

Desta forma, a Coelba, sem a anuência da comissão paritária e o Sinergia, agiu de forma arbitrária e
autoritária. Em que pese, ainda, não restou esclarecido como fica à condição aos inserir os estagiários ao
benefício do plano de saúde.

Assim sendo, pedimos os devidos esclarecimentos da empresa para esse lamentável episódio.

Direção do Sinergia

MAIS DESCUMPRIMENTO

Não foi só nesta questão que a Coelba descumpriu a cláusula do plano. Desde o início do ano, o Sinergia vem cobrando que sejam realizadas as reuniões de acompanhamento com a Comissão Paritária. O acordo é que estes encontros sejam bimestrais, mas até o momento, apesar da cobrança do sindicato, nenhuma reunião foi realizada, mostrando o descaso da empresa com esta questão.

O Sinergia vai notificar novamente a empresa e exigir que as reuniões sejam realizadas e as questões do plano sejam efetivamente discutidas para termos a qualidade nos serviços prestados e a fiscalização efetiva do nosso maior benefício.

2 Comentário

  1. Senhores autoridades no assunto tem que ficar atento as mudanças pois os “donos”da Coelba poderão fazer desaparecer tudo aquilo que um dia nós Coelbanos criamos e demos continuidade aquilo que encontramos. Ja modificado Faelba para Neos “QUEM MANTEM O CORTIÇO SÃO AS ABELHAS OPERARIAS E A RAINHA É APENAS A LÍDER QUE COM O TEMPO É SUBSTITUÍDA”

  2. SEI QUE A CONJUNTURA, ESTIMULA TUDO A FAVOR DO CAPITAL.
    NUNCA PENSEI EM MINHA VIDA DAR VIDA LONGA AOS SINDICATOS.
    PRECISEI APANHAR MUITO E AOS 79 ANOS,NESTE GRANDE MAR DE INCERTESAS, SEM BÚSSOLA, SEM MOTOR, SÓ OLHAR PARA OS CÉUS, NÃO RESOLVE MUITO.
    ESPERO QUE NOSSOS ADMINISTRADORES, NÃO SE ESQUEÇAM QUE ELES, ELLES, SERÃO NÓS, AMANHÃ… ABROLHO0S.

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*