Nota de apoio à greve dos caminhoneiros

0
71

A Direção do Sinergia manifesta, através da presente Nota, seu apoio total e irrestrito à greve dos caminhoneiros. Repudiamos, o conjunto de medidas deste Governo que prejudicam os trabalhadores e não podemos admitir a permanente escalada nos preços dos combustíveis paralelo à política de desmonte da Petrobras.

A atual política econômica do Governo e a política de preços da Petrobras representam uma verdadeira afronta à sociedade. Desde julho de 2017, o preço do diesel acumula alta de quase 59% e o da gasolina cerca de 55,5%, enquanto a inflação oficial no Brasil acumulada, praticamente no mesmo período, foi de cerca de 2,7%, índice que não por acaso também balizou a maioria dos aumentos salariais dos trabalhadores brasileiros.

Não há como este governo justificar que de julho de 2017 até o presente período, o preço da gasolina e do diesel nas refinarias tenha aumentado 59%. Porém, ao invés da Petrobras ampliar sua produção para reduzir o preço para o povo brasileiro, ou mesmo para aproveitar o preço mais alto e aumentar o caixa da empresa, aconteceu o efeito contrário de reduzir a produção nacional de 95% para 75% do que somos capazes de produzir, facilitando que empresas estrangeiras concorrentes à Petrobras entrem no mercado nacional.

A sociedade sente na pele os constantes reajustes dos combustíveis. Isso gera prejuízos em cadeia, que se verificam facilmente nos mais diversos segmentos, refletindo, notadamente, nos preços da cesta básica, do pão e do leite, do arroz e do feijão, do gás e da passagem do ônibus, dos remédios e da educação em geral, além dos praticados nas áreas da agricultura, indústria e comércio, hospitais, serviços e outros.

Defendemos uma política de preço de derivados de Petróleo com foco no desenvolvimento nacional. Repudiamos as medidas de repressão ao movimento. Nos solidarizamos com essa importante luta, que deve caminhar no sentido de buscar uma real alternativa aos problemas da categoria e dos trabalhadores brasileiros.

A direção do Sinergia orienta os eletricitários baianos, no que for possível, prestar solidariedade nesse momento difícil aos caminhoneiros. Para tanto, devemos estar unidos com as Centrais Sindicais e os movimentos em luta na perspectiva de construir um Dia Unificado de Luta que construa uma Greve Geral.

Apoiamos e seguiremos na luta combatendo as truculências do governo golpista e defendendo a imediata revisão da política de preços da Petrobras, a regulação nos preços da gasolina, diesel e gás de cozinha, o monopólio estatal na exploração do pré-sal e a estatização plena das empresas estratégicas como a Petrobras.

Essa luta é de todos!

Direção do Sinergia

Escreva seu comentário