Coerência, responsabilidade e inteligência

0
101

Democraticamente, Direção do Sinergia e chesfianos decidem por suspensão temporária da greve e continuidade da luta

A direção do Sinergia acumula em seu histórico uma reputação incontestável de coerência e responsabilidade com os interesses dos eletricitários baianos. Nem mesmo os momentos mais adversos e as situações políticas mais complicadas afetaram a sobriedade dos dirigentes da entidade, que se notabilizam pelas decisões acertadas, comprovadas nas avaliações posteriores às situações enfrentadas. Dentro desse histórico de coerência e responsabilidade, após uma ampla avaliação com os chesfianos, a categoria decidiu pela suspensão da greve de 72 horas, diante do compromisso da Eletrobras de reunir os sindicatos e discutir os impasses do ACT.

A decisão dos chesfianos baianos levou em conta, ainda, a confusa exigência do TST de obrigatoriedade de se manter 75% do efetivo, sob pena de multa diária de R$ 100 mil, conforme a decisão do Ministro Mauricio Godinho. Na avaliação da direção do Sinergia, compartilhada pelos chesfianos na Bahia, a abertura de um canal de negociação, antes considerado exaurido, é um avanço e prova a força do movimento.

Não parece sensato no momento desperdiçar a possibilidade de construir em mesa a garantia do conjunto dos nossos benefícios, gravemente ameaçados pelas constantes investidas de um governo ilegítimo e sem nenhum compromisso com os trabalhadores. Não obstante, avaliamos que o judiciário de um modo geral tem tomado decisões extremamente desfavoráveis para os trabalhadores. Prova disso, foi a recente proibição da greve dos petroleiros em defesa do patrimônio nacional, que de forma inédita foi avaliada pela Justiça como greve de greve de pretensão política.

No caso dos eletricitários, a exigência de manter 75% do efetivo representa uma exposição velada aos trabalhadores que aderirem ao movimento, expondo-os à represálias e retaliações futuras. Ademais, a multa diária imposta de R$ 100 mil, diante da confusa decisão do TST, poderia sangrar desnecessariamente as finanças das entidades durante a luta contra a privatização.

Em nossa avaliação não se trata de mostrar quem é mais ou menos valente nesse momento. Se trata de responsabilidade e inteligência para conquistar a manutenção dos nossos benefícios dentro de uma conjuntura extremamente adversa. A luta contra a privatização segue, independente da suspenção temporária do movimento. Inclusive durante todo esse período continuamos com atividades diversas de luta. A greve é mais uma ação dentro desse conjunto.

Eletrobras cancela reunião – A Eletrobras decidiu cancelar a reunião marcada para o dia 13 de junho. O Diretor Rafael Oliveira inclusive estava escalado para esta atividade e teve que cancelar sua ida. Repudiamos a posição da Eletrobras, que retalia o conjunto dos trabalhadores, que tem autonomia para decidir seu futuro. Essa é uma postura autoritária e que tem a exclusiva intenção de enfraquecer o movimento sindical. O Sinergia e os chesfianos da Bahia continuam fortes e em defesa de um ACT sem retirada de direitos, contra a privatização da Eletrobras, em defesa da saída do presidente Wilson Pinto e favor de um país soberano e que preserve suas riquezas.

 

Direção do Sinergia

Escreva seu comentário