Câmara de Salvador debaterá privatização da Chesf

0
35

Ampliação nos valores da conta de energia, empobrecimento de cidades do Nordeste, impacto no fluxo turismo regional, demissão de trabalhadores, diminuição dos investimento da preservação do Rio São Francisco e Parnaíba. Esses são apenas alguns dos impactos que o Sinergia, Sindicato dos Eletricitários da Bahia, prevê com uma eventual privatização da Chesf. “Será um prejuízo incalculável para a região Nordeste, especialmente para a Bahia, a investida do governo federal”, explica Paulo de Tarso, Presidente da Confederação Nacional dos Urbanitários (CNU) e diretor do Sinergia.

Preocupados com essa situação, as entidades se mobilizam e buscam apoio diversos para ampliar o debate na sociedade. Neste sentido, a Comissão de Desenvolvimento Econômico e Turismo da Câmara Municipal de Salvador, por intermédio da vereadora Marta Rodrigues (PT), realizará uma audiência pública, na próxima quarta-feira (8), às 17 horas, no Centro de Cultura da Casa. A audiência tem o objetivo de abordar o contexto histórico, a função e a relevância da Chesf, traçando um panorama de como anda a luta contra a privatização.

Para a vereadora, é grande a crítica em torno da possível privatização da Companhia, responsável em controlar a vazão das águas do Rio São Francisco. “O Rio São Francisco é de extrema importância para a economia da região, uma vez que suas águas servem para geração de energia, como de renda, com a irrigação, a pesca, transporte e consumo humano”, explica Marta.

“Não se trata apenas da defesa da Chesf. É uma questão ampla, que tem efeitos prejudiciais diversos na economia dos estados e, além disso, vai provocar ampliação dos valores das tarifas. Isso, por si só, já relevante para toda sociedade”, explica Paulo de Tarso. Segundo o dirigente, as entidades estão tentando ao máximo ampliar esse debate e alertar a sociedade para esse perigo. “Esta é mais uma oportunidade de debater essa questão. Precisamos do envolvimento dos meios de comunicação para debater isso com a sociedade que é a principal prejudicada”, frisa.

Para a Vereadora Marta, que propôs a audiência, a Chesf é um dos principais ativos do Brasil e tem contribuído para o desenvolvimento nacional. “É uma das maiores estatais da América Latina, é difícil imaginar que nas mãos da iniciativa privada, terá a função social que atualmente tem”, declara.

Governadores e parlamentares preocupados – Os governadores nordestinos, preocupados com o impacto dessa medida, enviaram, ainda em setembro, uma Carta ao Presidente Michel Temer se manifestando contra a privatização da Chesf. Até o momento não receberam nenhuma resposta. A luta tem o reforço das Frentes Parlamentares (Nacional e Regional) em defesa da Chesf e do Rio São Francisco. O objetivo das frentes é mobilizar a sociedade e o Legislativo contra a privatização do sistema elétrico brasileiro e defender o Rio São Francisco. “Esperamos fazer uma grande mobilização em defesa da Chesf e do setor elétrico brasileiro. Toda atenção à questão é urgente, pois a privatização anunciada pelo governo federal significa também a privatização do Rio São Francisco e isso não podemos permitir”, disse Danilo Cabral, deputado Federal do PSB de Pernambuco, presidente da Frente nacional.

O QUÊ: Audiência Pública debate impactos da privatização da Chesf

QUANDO: Quarta-feira (08 de novembro)

HORÁRIO: 17h30

LOCAL: Centro de Cultura da Câmara Municipal de Salvador (Ao lado do Elevador Lacerda)

Escreva seu comentário