Por maioria, eletricitários aprovam proposta da Eletrobras

    0
    345
    Paulo Afonso

    Na Bahia, chesfianos rejeitaram proposta e mostraram indignação com o que foi apresentado pela holding

    Os eletricitários do Setor Elétrico Nacional, por maioria, aprovaram a proposta da Eletrobras para o ACT da campanha salarial deste ano. A proposta apresentada dividiu opiniões nacionalmente. Ao final, contabilizando os resultados das assembleias por empresas, a proposta da Eletrobras foi aprovada.

    Na Bahia, os chesfianos a rejeitaram a considerando, entre outras questões, que não houve respeito da Eletrobras com os trabalhadores ao oferecer uma reposição inflacionária de forma fragmentada e que não é retroativa em sua plenitude. Além dessa situação, o fato de efetuar o pagamento de apenas 25% da PLR e o restante quando houver liberação das contas da Chesf não foi bem acolhido pela categoria.

    Democraticamente, a direção do Sinergia respeita (e sempre respeitará) a posição dos trabalhadores. Entende, ainda, que o processo de apreciação e de decisão sobre uma proposta, bem como os seus critérios de apuração devem ser respeitados. Historicamente, a forma de decisão dos rumos do movimento sindical é a assembleia. Nesse particular, a decisão soberana da maioria deve ser sempre respeita.

    Nos da direção do Sinergia compartilhamos do mesmo sentimento de revolta sobre a forma que a Eletrobras tratou os trabalhadores. Sabemos que, apesar do momento difícil e da recessão que o país atravessa, era possível avançar e melhorar a proposta. Contudo, a direção do Sinergia entende, também, que há sempre o ideal e o possível. Apesar da proposta não ser a ideal, mantém direitos históricos preservados por dois anos, num cenário político e econômico complicado e incerto.

    Por mais difícil que seja politicamente defender algo que a base considera como insuficiente, a direção do sindicato tem a responsabilidade de refletir e apresentar sua posição. Consideramos que, nesta conjuntura adversa, sobretudo, com um governo golpista e um judiciário que ajudou no golpe, colocar nossas conquistas para julgamento em dissídio é extremamente perigoso.

    Não achamos razoável que setores oportunistas aproveitem a situação delicada da campanha para vender ilusões e motivar a categoria a dar um passo que pode custar revés em diversas situações. Ter responsabilidade pode até nos causar desgastes, mas deixará sempre a direção do sindicato tranquila do seu papel de preservar os direitos dos trabalhadores.

    Confira o resultado das assembleias por empresa

    Votos a favor da proposta

    • Eletronorte -3.017
    • Eletronuclear – 637
    • CCTE -596
    • Cepel – 389
    • Amazonas Distribuidora – 1.728
    • Alagoas – 1.112
    • Acre – 251
    • Piauí – 1.430
    • Rondônia – 703
    • Roraima – 353
    • Amazonas G e T – 460

    Total a favor – 10.676

    Votos contra a proposta

    • Chesf – 4.564
    • Furnas – 3.749
    • Eletrobras – 1.014
    • Furnas – 3.749

    Total contra – 9.327